sábado, 21 de outubro de 2017

{Lançamentos} Outubro na HarperCollins Brasil

No mês do Terror, a HarperCollins Brasil trás de volta ao mercado editorial brasileiro o vampiro mais famoso da literatura, Drácula, numa super coletânea reunindo diversos contos baseados no grande vampiro. Mas também tem livro para quem ama história e para os fãs de fantasia. Confira:
As mulheres do castelo (Jessica Shattuck)
336 páginas
Ao eclodir a Segunda Guerra Mundial, Marianne von Schneesingen retorna para o grande castelo, agora em ruínas, no qual ela era a anfitriã de bailes para a alta sociedade alemã. Viúva de um opositor ao regime nazista, Marianne prometeu que seria a protetora de todas as mulheres cujos maridos morreram para lutar contra Hitler, tornando sua missão abrigá-las nesta imensa fortaleza. Primeiro, ela salva Benita, a viúva de seu amigo de infância, da escravidão sexual imposta pelo exército russo, e Ania, uma mulher que vivia nos terríveis campos de trabalhos forçados para prisioneiros políticos. Em vão, Marianne tenta construir uma nova família para si mesma a partir dos destroços do movimento de resistência de seu marido, certa de que seu passado em comum as manterá unidas para sempre. Mas ela logo descobre que seu mundo é muito mais complicado do que imaginava. Enquanto Benita começa uma relação clandestina com um ex-soldado nazista, Ania luta para esconder seu passado do julgamento de Marianne. As três mulheres devem encarar o fato de que todas receberam três vidas: uma antes da guerra; outra, durante; e finalmente sua vida após a guerra, na qual elas devem carregar cada um seu próprio fardo.
Como parar o tempo (Matt Haig)
320 páginas
A PRIMEIRA REGRA É NÃO SE APAIXONAR.
Tom Hazard esconde um segredo perigoso. Ele pode aparentar ser um quarentão normal, mas por causa de uma estranha condição está vivo há séculos. Da Inglaterra elisabetana à era do jazz parisiense, e de Nova York aos mares do sul, Tom já testemunhou tanto que agora precisa apenas de uma vida normal.
Sempre trocando a identidade para se manter a salvo, ele encontra o disfarce perfeito trabalhando como professor de História em Londres. Assim, pode trazer suas experiências do passado como fatos vivos. Pode manipular as histórias para seus alunos. Pode levar uma vida normal. Tom só não pode se esquecer da primeira regra. Aquela sobre paixão…
Como parar o tempo é um romance doce e envolvente sobre como se perder e se encontrar na própria história. É sobre as certezas da mudança dos tempos e o tempo que a vida leva para nos ensinar como vivê-la.
Herdeiros de Drácula (Richard Dalby - org.)
528 páginas
Drácula, de Bram Stoker, é a mais famosa história de vampiro já escrita, embora não tenha sido a primeira a descrever a malignidade dos mortos-vivos – muito menos a última.
Em comemoração aos 120 anos de publicação de Drácula, esta antologia única reúne 25 contos raros escritos entre 1867 e 1940 por autores igualmente geniais, como Sir Arthur Conan Doyle e M.R. James.
Herdeiros de Drácula é um verdadeiro banquete para todos os aficionados por literatura fantástica e sobrenatural, um delicioso mergulho na história desses seres fascinantes e assustadores.

O farol e a libélula (org. Richard Dalby)
304 páginas
O inusitado encontro entre uma garota em busca de futuro e uma mulher redescobrindo seu passado.
Morgan, uma órfã problemática, precisa cumprir pena prestando serviço comunitário em um lar para idosos. Ali ela conhece Elizabeth Livingstone, uma senhora com a visão debilitada, mas que possui uma memória tão vívida quanto as histórias que guarda. Essas histórias aos poucos são reveladas quando, com a ajuda de Morgan, Elizabeth descobre os diários do falecido pai.
À medida que as palavras do diário tomam forma e são recriadas pelas lembranças, Elizabeth e Morgan percebem que seus destinos estão profundamente ligados à isolada ilha de formas nunca imaginadas. Enquanto Morgan descobre laços da própria família, os diários revelam mais perguntas que Elizabeth poderia responder, transformando sua percepção da realidade.
Romance magnífico, O farol e a libélula é repleto de palavras e histórias relevadas a cada virada de página, e que alinham passado e futuro com a amizade entre uma menina infratora e uma senhora misteriosa. Um sensível relato sobre o passar do tempo e uma celebração à própria experiência da vida.

William Wenton e o ladrão de Lurídio (Bobbie Peers)
224 páginas
William e sua família estão se escondendo desde o misterioso desaparecimento de seu avô. Mas quando seu talento extraordinário para desvendar códigos é descoberto, William é sequestrado e levado ao Instituto de Pesquisa de Pós-Humanos.
Porque alguém está atrás dele. Alguém que precisa das habilidades especiais de William para encontrar os últimos traços de uma substância estranha e poderosa chamada Luridium. William terá que usar toda a sua ingenuidade e habilidade de desvendar códigos para descobrir os segredos que o Instituto está escondendo. Quebra-cabeças impossíveis, criaturas cibernéticas e robôs sedentos de sangue estarão em seu caminho.
Amar e ser livre (Sri Prem Baba)
176 páginas
Neste livro, Prem Baba fala sobre a qualidade amorosa e o desenvolvimento das relações amorosas, mostrando que um relacionamento feliz vai além da realização pessoal. A construção de relacionamentos amorosos, saudáveis e construtivos é determinante para a construção de um mundo melhor, com menos maldade. Iluminando a nós mesmos, iluminaremos o mundo.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Resenha {Livro} A chave de bronze (Holly Black e Cassandra Clare)

Atenção! Esta resenha poderá conter spoilers do livro anterior. Leia por sua conta em risco ;)
Confira também a resenha de:
Magisterium: O desafio de Ferro
- Magisterium: A luva de cobre

Call, Tamara e Aaron em breve retornarão ao Magisterium para mais um ano de aprendizado em magia; antes, porém, de seu retorno, os jovens deverão receber homenagens da comunidade dos magos em decorrência de sua vitória conta o Inimigo da Morte, Constantine Madden.
Call e os demais aprendizes de magos estão bastante otimistas quanto ao seu novo ano no Magisterium, especialmente porque o grande - e terrível - segredo de Call para agora estar devidamente guardado, com ninguém suspeitando do verdadeiro destino de Constantine. Entretanto, no dia da premiação dos jovens, uma enorme tragédia acontece, deixando todos os presentes, magos de prestígio na comunidade mágica, em dúvida acerca dos reais planos do Inimigo da Morte.
Agora, com um possível espião entre seus colegas e os mestres no Magisterium que poderá colocar a vida de Call em perigo, os amigos deverão contar com uns com os outros, sem saber ao certo em quem podem ou não confiar, quem é amigo e quem é inimigo, o que colocará as amizades em jogo.

"[...] Eram destinados a serem inimigos. Aaron era destinado a ser o heroi, e Call aa ser o vilão. Simples assim. Ele nunca tinha tido amigos como Aaron e Tamara antes, e às vezes Call ficava imaginando por que gostavam dele. Talvez a resposta fosse simples. Talvez Aaron não fosse de fato seu amigo."
(Holly Black e Cassandra Clare, p. 157)

Suas habilidades, recém descobertas ou não, e desenvolvidas nos anos anteriores, também serão de suma importância, além de terem de agir sempre com bastante cautela a fim de que não levantem suspeitas sobre o segredo envolvendo o Inimigo da Morte, e quem está certo ou errado na luta do bem contra o mal.

"- As pessoas se lembram do Inimigo da Morte - disse Alma. - Mas se esqueceu do homem que o fez quem ele era. Constantine pode ter sido mau, mas também passou por uma tragédia [...]"
(Holly Black e Cassandra Clare, p. 179)

Este foi, na minha opinião, o melhor livro da série Magisterium até o momento. Repleto de ação e muitas (muitas!) reviravoltas, o livro me prendeu e surpreendeu pela forma dinâmica com que a narrativa foi sendo conduzida, mostrando que mesmo com poucas páginas (se comparado aos livros anteriores) ainda é possível ter uma história envolvente, bem escrita e bem elaborada, com personagens fortes e cada vez mais maduros, evidenciando assim o também amadurecimento de toda a trama idealizada por Cassandra e Holly, que vem ganhando forma própria a cada nova história.

Só tenho uma “crítica” para fazer: PORQUE ME FAZER ESPERAR DEPOIS DAQUELE FINAL?! CADÊ O LIVRO QUATRO??? Agilizem aí, moças!

Brincadeiras à parte, continuo recomendando a série Magisterium. Leiam, encantem-se e surtem comigo XD

269 páginas | 1ª edição | 2016 | Galera Record




terça-feira, 17 de outubro de 2017

{Curiosidades literárias} Dedicatórias inusitadas

Todo livro (e outras publicações, como as acadêmicas) possui uma página reservada à dedicatória, onde o(a) autor(a) dedica sua obra a alguém em especial, de certa forma homenageando a pessoa (ou pessoas) a quem a dedicatória se dirige.
Estas dedicatórias podem ser curtas, longas, dirigidas a uma ou mais pessoas, e em geral carregam uma dose de emoção. Entretanto algumas se destacam pelo bom humor empregado, resultando numa série de dedicatórias hilárias e inusitadas como as que podem ser vistas a seguir:
Para minha esposa Marganit 
e meus filhos Ella Rosa e Daniel Adam, 
sem os quais este livro estaria 
completo dois anos antes.
Para todos com uma linha vermelha 
embaixo do nome no Microsoft Word
Este livro é dedicado a Kanye West 
porque ele nunca irá ler isto
Para mamãe
(apenas pule as cenas de sexo, por favor)
Para minha esposa Karen, que é 90% 
inspiração e 90% paciência.
No, isso não corresponde a 180%. 
Ela é multitarefa.
Para Colin Firth
Você é um cara bem legal, mas eu sou casada, 
então eu penso que devemos ser apenas amigos.
Este livro é dedicado a todo professor(a) que ama 
ensinar mas odeia toda porcaria que vem com isso...
Para mamãe e papai,
Não poderia ter feito isso sem
Seu material genético
Para Joshua e Noah,
Gratidão, meus queridos meninos, por me lembrarem constantemente
que idade não é algo que importa a não ser que você seja um queijo
Este livro é para meus
pais, que tentaram

* Traduzido de 10+ Times Writers Took Book Dedications To Another Level (veja essas e outras dedicatórias inusitadas no post original, em inglês 😉)

sábado, 14 de outubro de 2017

{Lançamentos} Outubro na Arqueiro

Apostando nos livros de autores já consagrados e trazendo também novidades pro cenário editorial brasileiro, a editora Arqueiro trás lançamentos variados para este mês. Confira:
A origem (Dan Brown)
432 páginas | Preço: R$ 49.90
DE ONDE VIEMOS? PARA ONDE VAMOS?
Robert Langdon, o famoso professor de Simbologia de Harvard, chega ao ultramoderno Museu Guggenheim de Bilbao para assistir a uma apresentação sobre uma grande descoberta que promete “mudar para sempre o papel da ciência”.
O anfitrião da noite é o futurólogo bilionário Edmond Kirsch, de 40 anos, que se tornou conhecido mundialmente por suas previsões audaciosas e invenções de alta tecnologia. Um dos primeiros alunos de Langdon em Harvard, há 20 anos, agora ele está prestes a revelar uma incrível revolução no conhecimento… algo que vai responder a duas perguntas fundamentais da existência humana.
Os convidados ficam hipnotizados pela apresentação, mas Langdon logo percebe que ela será muito mais controversa do que poderia imaginar. De repente, a noite meticulosamente orquestrada se transforma em um caos, e a preciosa descoberta de Kirsch corre o risco de ser perdida para sempre.
Diante de uma ameaça iminente, Langdon tenta uma fuga desesperada de Bilbao ao lado de Ambra Vidal, a elegante diretora do museu que trabalhou na montagem do evento. Juntos seguem para Barcelona à procura de uma senha que ajudará a desvendar o segredo de Edmond Kirsch.
Em meio a fatos históricos ocultos e extremismo religioso, Robert e Ambra precisam escapar de um inimigo atormentado cujo poder de saber tudo parece emanar do Palácio Real da Espanha. Alguém que não hesitará diante de nada para silenciar o futurólogo.
Numa jornada marcada por obras de arte moderna e símbolos enigmáticos, os dois encontram pistas que vão deixá-los cara a cara com a chocante revelação de Kirsch… e com a verdade espantosa que ignoramos durante tanto tempo.

Entre irmãs (Frances de Pontes Reebles)
Tradução: Maria Helena Rouanet | 576 páginas | Preço: R$ 54.90
Ganhador do Prêmio de Ficção do Friends of American Writers e agora adaptado para o cinema, Entre irmãs é uma história de amor e lealdade, um romance arrebatador sobre a saga de uma família e de um país em transição.
Nos anos 1920, as órfãs Emília e Luzia são as melhores costureiras de Taquaritinga do Norte, uma pequena cidade de Pernambuco. Fora isso, não podiam ser mais diferentes.
Morena e bonita, Emília é uma sonhadora que quer escapar da vida no interior e ter um casamento honrado. Já Luzia, depois de um acidente na infância que a deixou com o braço deformado, passou a ser tratada pelos vizinhos como uma mulher que não serve para se casar e, portanto, inútil.
Um dia, chega a Taquaritinga um bando de cangaceiros liderados por Carcará, um homem brutal que, como a ave da caatinga, arranca os olhos de suas presas. Impressionado com a franqueza e a inteligência de Luzia, ele a leva para ser a costureira de seu bando.
Após perder a irmã, a pessoa mais importante de sua vida, Emília se casa e vai para o Recife. Ali, em meio à revolução que leva Getúlio Vargas ao poder, ela descobre que Luzia ainda está viva e é agora uma das líderes do bando de Carcará.
Sem saber em que Luzia se transformou após tantos anos vagando por aquela terra escaldante e tão impiedosa quanto os cangaceiros, Emília precisa aprender algo que nunca lhe foi ensinado nas aulas de costura: como alinhavar o fio capaz de uni-las novamente.
Lady Whistledown contra-ataca (Julia Quinn, Mia Ryan, Suzanne Enoch e Karen Hawkins)
Tradução: Marcelo Schild, Rachel Agavino, Maria Carmelita Dias e Janaína Senna | 352 páginas | Preço: R$ 39.90
Com a participação especial da famosa cronista da sociedade criada por Julia Quinn, Lady Whistledown contra-ataca é formado pelas narrativas curtas de quatro escritoras consagradas, tendo como fio condutor o roubo de uma pulseira milionária. Seus contos são como pérolas que se unem e formam uma peça de valor inestimável. 
Quem roubou o bracelete de lady Neeley?
Terá sido o caça-dotes? O apostador? A criada? Ou o libertino? Londres está fervendo com as especulações, mas, se ainda restam muitas dúvidas, pelo menos uma coisa é certa: um desses quatro está envolvido no crime.
Crônicas da sociedade de lady Whistledown, maio de 1816
Julia Quinn encanta...
Um belo caçador de fortunas foi enfeitiçado pela debutante mais desejada da temporada. Agora ele precisa provar que o que deseja é o coração da jovem, não o dote dela. 
Mia Ryan delicia...
Uma criada adorável e espirituosa está deslumbrada com as atenções românticas que tem recebido de um charmoso conde. Mas um relacionamento entre eles seria escandaloso e poderia arruinar a reputação dos dois.
Suzanne Enoch fascina...
Uma jovem inocente que passou a vida evitando escândalos de repente se vê secretamente cortejada pelo maior libertino de Londres.
Karen Hawkins seduz...
Um visconde que vaga sem destino volta para casa para reacender o fogo da paixão de seu casamento, mas descobre que sua linda e decidida esposa não será conquistada tão facilmente.
A irmã da pérola
Série "As sete Irmãs" #4 (Lucinda Riley)
Tradução: Viviane Diniz | 528 páginas | Preço: R$ 49.90
Em A irmã da pérola, quarto volume da série As Sete Irmãs, duas jovens de séculos diferentes têm seus destinos cruzados numa emocionante história sobre amor, arte e superação.
Ceci D’Aplièse sempre se sentiu um peixe fora d’água. Após a morte do pai adotivo e o distanciamento de sua adorada irmã Estrela, ela de repente se percebe mais sozinha do que nunca. Depois de abandonar a faculdade, decide deixar sua vida sem sentido em Londres e desvendar o mistério por trás de suas origens. As únicas pistas que tem são uma fotografia em preto e branco e o nome de uma das primeiras exploradoras da Austrália, que viveu no país mais de um século antes.
A caminho de Sydney, Ceci faz uma parada no único local em que já se sentiu verdadeiramente em paz consigo mesma: as deslumbrantes praias de Krabi, na Tailândia. Lá, em meio aos mochileiros e aos festejos de fim de ano, conhece o misterioso Ace, um homem tão solitário quanto ela e o primeiro de muitos novos amigos que irão ajudá-la em sua jornada.
Ao chegar às escaldantes planícies australianas, algo dentro de Ceci responde à energia do local. À medida que chega mais perto de descobrir a verdade sobre seus antepassados, ela começa a perceber que afinal talvez seja possível encontrar nesse continente desconhecido aquilo que sempre procurou sem sucesso: a sensação de pertencer a algum lugar.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Resenha {Livro} O sol também é uma estrela (Nicola Yoon)

Exemplar de cortesia da editora

O sol também é uma estrela, segundo romance da jamaicana Nicola Yoon, apresenta Natasha e Daniel, dois jovens diferentes que não poderiam ser mais parecidos.
Natasha é prática e acredita e nos fatos em detrimento das coincidências e da fé, sendo por vezes pessimista conforme sua própria concepção. Já Daniel é um sonhador que acredita na fé e no amor, sendo otimista quanto ao alcance de seus sonhos.
Ele, nascido nos EUA e filho de coreanos, quer mesmo é ser poeta quando o que seus pais querem é que ele faça faculdade e estude medicina., deixando-o assim num dilema entre seguir seus sonhos ou os objetivos de seus pais, que só querem o melhor para ele.

“ [...] Não quero ficar preso a uma coisa que não significa nada para mim. Essa trilha onde estou... ela segue sem fim. Yale. Faculdade de medicina. Residência. Casamento. Filhos. Aposentadoria. Asilo de idosos. Funerária. Cemitério.”
(Nicola Yoon, p. 84)

Ela, nascida na Jamaica e que foi morar ainda bem nova nos EUA com a família, está para ser deportada com seus pais e o irmão de volta a seu país natal muito em breve, o que de certa forma aumenta suas descrenças na esperança, no “impossível tornar-se realidade”.

"Como é que este pode ser o mesmo dia? Como é que todas essas pessoas podem continuar com a vida sem saber nada do que acontece na minha? Às vezes o mundo da gente balança com tanta força que é difícil imaginar que quem está ao redor não perceba também. Foi assim que me senti quando recebemos a ordem de deportação [...]"
(Nicola Yoon, p. 196)

No dia em que Natasha está para ser deportada com a família, ela ainda vai tentar um último recurso a fim de permanecer nos EUA, enquanto Daniel se encaminha para sua entrevista de admissão na faculdade com a cabeça ainda cheia de dúvidas a respeito do futuro. E entre encontros e desencontro, os dois se conhecerão e descobrirão que estavam destinados (segundo Daniel) um ao outro.

Coincidências ou não, o universo os liga, bem como aos demais personagens da narrativa, que aos poucos vamos descobrindo o papel de cada um dentro da trama.
Os capítulos contados sob pontos de vista diferentes (um de Natasha e um de Daniel)

Apesar de tudo acontecer muito rápido, afinal a narrativa se dá em sua maior parte em apenas um dia - o dia que os protagonistas se conhecem -, nada é muito forçado ou clichê, mostrando como a forma com que a narrativa é conduzida pela autora é tão importante quanto a história em si (#LiteraturaFeelings ), tornando a leitura bastante prazerosa e dinâmica (li o livro rapidinho, em dois dias *-*).

Uma história fofa e ao mesmo tempo reflexiva recomendada para todos os tipos leitores ;)

“[...] Têm a sensação de que a duração de um dia é mutável, e que no início jamais dá para ver o final. Têm a sensação de que o amor muda todas as coisas o tempo todo.
É para isso que o amor existe.”
(Nicola Yoon, p. 268)

276 páginas | 1ª edição | 2017 | Arqueiro