segunda-feira, 14 de março de 2016

Resenha {Livro} - O menino do pijama listrado (John Boyne)


Olá, leitores.
Para começar, gostaria de agradecer a oportunidade de estar escrevendo para o Attraverso le Pagine, o blog de uma grande amiga.
Pretendia iniciar as resenhas com um livro da saga Star Wars, mas por motivos técnicos, não foi possível. Por enquanto! Então, resolvi começar por um excelente livro que li recentemente: O Menino do Pijama Listrado, do John Boyne.
Boyne é um escritor irlandês que ganhou vários prêmios importantes por conta de seus livros que já foram traduzidos para mais de 30 idiomas. É fácil entender o motivo de tanto sucesso. A sua forma de escrita é tranquila, nem um pouco cansativa e que faz o leitor se sentir parte da história. O Menino do Pijama Listrado mostra isso. 

O livro, lançado em 2007, conta a história de Bruno, um “jovem rapaz” de 9 anos que morava em Berlim, numa casa enorme e divertida, à seus olhos, tinha três grandes e melhores amigos, até que tem a vida completamente mudada, após a promoção de seu pai, um militar nazista: o pai se torna Comandante e toda a família segue para um lugar chamado Haja-Vista, novo local de trabalho do pai e onde passam a morar. Nem é preciso dizer que Bruno odeia a nova casa e a mudança no geral. E realmente, Haja-Vista é um lugar feio, isolado, sem nada para explorar. Até que um dia, o menino decide ir além da casa dele, em direção a “fazenda” que tinha avistado do seu quarto. É, então, que conhece um garoto da sua idade, mas que vive do outro lado da cerca. 
Dois fatos que amei no livro: a amizade entre Bruno e Shmuel e a inocência das crianças, principalmente do Bruno. Durante toda a história, notamos que este não compreende o porquê de tanta mudança (chega a pensar que o pai fez algo de errado e o Fúria o castigou mandando para aquele lugar horrível), o porque de todos na “fazenda” usarem um  pijama listrado o dia todo nem acha justo que Shmuel tenha vários amigos e ele esteja sozinho; não faz ideia de que o mundo está em guerra e que os judeus e outras minorias estão sendo assassinadas, inclusive pelo seu pai. Isso fica claro nas palavras usadas pelo autor para designar alguns lugares e pessoas que são do conhecimento do leitor, mas não do personagem: palavras difíceis de serem pronunciadas para qualquer criança (até para adulto). Confesso que só entendi o significado de Haja-Vista depois de ler, pesquisando para esta resenha. Então, se você descobriu “logo de cara” do que se trata, deixa seu comentário aqui (sem spoiler, ok?!) e deixa também sua opinião sobre o livro. Para quem não leu, indico a leitura e também o filme (de preferência depois que ler). 
Abraços e até a próxima. 


"Você é o meu melhor amigo. Meu melhor amigo para a vida toda."
(John Boyne)

192 páginas | 1° edição | 2007 | Companhia das Letras





2 comentários:

  1. Oii Moony,

    Eu já não curti este livro, a narrativa foi boa o problema foi o tema do livro, não curto ler sobre guerras..

    Beijos Mila
    Daily of Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério?! Eu já sou totalmente o oposto. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Obrigada por visitar o blog e a resenha.
      E não deixa de visitar sempre, pois em breve teremos novidades que vocês irão amar. Beijos, Mila.

      Excluir