sábado, 21 de maio de 2016

Resenha {Livro} - O orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares (Ransom Riggs)

Desde criança, Jacob sempre ouvira as histórias incríveis contadas por seu avô paterno, Abraham (Abe), sobre o orfanato onde este vivera antes de ir para a guerra: um lugar fantástico habitado por crianças com dons especiais; e ainda sobre os temidos monstros que ele caçava quando jovem. Com o passar dos anos, as histórias foram se tornando bastante fantasiosas aos ouvidos do próprio Jacob e de sua família, que acreditava ser ilusões de uma mente Senil.

“[...] Agarramo-nos a nossos contos de fadas até que o preço por acreditar neles se torne alto demais [...]” 
(Ransom Riggs, p. 12)

Até o momento em que Abraham é atacado e reconta a Jacob as histórias que contara quando este era criança, alegando serem todas elas reais. Para piorar a situação, Jacob de fato vê (ou pelo menos pensa ter visto) um dos tais monstros que seu avô tanto falara, no que sua família começa a duvidar de sua sanidade mental.
A fim de descobrir o que o avô realmente queria dizer com suas histórias, e tentar esquecer os terríveis pesadelos que passara a ter desde então, Jacob resolve visitar o local onde funcionava o orfanato onde vivera seu avô. Assim, Jacob e seu pai, filho de Abraham, partem numa viagem rumo a Cairnholm, uma ilha do País de Gales afastada praticamente afastada da civilização, onde seus poucos habitantes desconhecem a existência de um orfanato no local, a não ser ruínas do que fora de fato um orfanato até ser atingido por uma bomba durante a guerra. Jacob resolve então investigar o local e finalmente conhece as tais crianças com dons especiais de que seu avô tanto falara: os peculiares.

“[...] Era exatamente o paraíso que meu avô descrevia em suas histórias. Essa era a ilha encantada; essas eram as crianças mágicas. Se eu estava sonhando, não queria mais acordar. Pelo menos, não por um bom tempo.”
(Ransom Riggs, pp. 135-136)

Narrado sob o ponto de vista de Jacob, a história criada por Ransom Riggs possui uma “mitologia” própria que mescla fantasia, aventura e viagens no tempo (não vou dizer exatamente o motivo da viagem no tempo senão vai acabar sendo um tremendo spoiler).
Com um ritmo bem leve, a história foi me deixando cada vez mais curiosa e ávida por resposta, especialmente sobre quem eram as pessoas de que Abe tanto falara, o que mais tarde foi devidamente respondido, assim como outros mistérios que permeiam a trama, que vamos descobrindo na medida em que Jacob também os descobre.
Gostei muita da leitura e me surpreendi por não se tratar de um livro de terror, pois até ler eu pensava que era. Ele tem sim suas doses de suspense, mas está mais voltado para o gênero fantasia, o que eu amei, já que sou apaixonada por fantasias. E as fotos antigas no decorrer da narrativa deram um toque especial ao livro, complementando de certa forma a história.
As fotos antigas (e bizarras) dão um certo charme à história *-*
Esse livro faz parte de uma série, cuja continuação, Cidade dos Etéreos, acabou de ser lançado pela editora Intrínseca numa edição linda em capa dura. Mal posso esperar para ler ele (o modo como acaba esse livro me deixou doida pela continuação *-*)

Recomendo essa leitura a todos os amantes de uma boa fantasia: encantem-se pelo universo dos peculiares.

“Eu costumava sonhar em fugir da minha vida comum, mas minha vida nunca havia sido comum. Simplesmente não conseguira notar como ela era extraordinária [...]”
(Ransom Riggs, p. 331)

Ps.: Essa leitura faz parte do projeto #LeggoIndicare (Leio e Indico), um novo projeto literário criado pelo blog. Para mais informações, acesse o post sobre o projeto clicando aqui.

332 páginas | 1° edição | 2012 | Leya 


2 comentários:

  1. Belle você falou tudo, assim como você também corri desse livro quando ele foi lançado por achar que era um livro de terror e quando vi o trailer do filme e vi que era de fantasia pensei: quero ler logo. Estou adorando as resenhas positivas que ando lendo e já add a série a minha lista de desejo. Parabéns pela leitura e pela resenha que me deixou mais curiosa. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tinha muito medo dele O.O Ainda bem que no final das contas era fantasia. E olha, é uma fantasia de qualidade. Vale à pena ler ;) (e aguardar a estreia do filme *-*)

      Excluir