sábado, 27 de agosto de 2016

Resenha {Livro} - A longa e sombria hora do chá da alma (Douglas Adams)

Sinopse: Kate Schechter devia ter prestado atenção aos avisos que o universo tentava lhe dar. No aeroporto de Heathrow, prestes a embarcar para a Noruega, a americana pensa em todos os sinais que lhe diziam para não fazer aquela viagem. Ainda assim, ela não está nem um pouco preparada para a explosão do balcão de check-in, que destrói parte do terminal.
Enquanto isso, no norte de Londres, o detetive Dirk Gently está no fundo do poço: sem dinheiro, vive de bicos como quiromante numa tendinha. Refletindo sobre seu fracasso, ele lembra de repente que, na verdade, tem um cliente e está absurdamente atrasado para o encontro aquela manhã.
Porém, o investigador chega tarde demais. Sentindo-se culpado pela sina do homem, ele resolve mais uma vez fazer uso da interconexão de todas as coisas e vê uma ligação do seu caso com os estranhos eventos no aeroporto.
Abrindo caminho em meio aos elementos mais absurdos, Dirk se depara com uma máquina de refrigerante que aparece nos lugares mais improváveis, uma águia hostil que insiste em atacá-lo, um hospital sinistro para casos exóticos, horóscopos insultuosos e uma calculadora de I Ching.

Livro cedido em parceria com a editora Arqueiro para resenha ♡

Esse é o segundo livro do detetive Dirk Gently, série antiga de Douglas Adams que a Arqueiro fez o imenso prazer aos fãs ao trazer pra o Brasil.

“- Ah, Bates, você e suas expectativas... Sempre esperando isto ou aquilo. Posso lhe recomendar um pouco de serenidade? Uma vida que carrega o fardo da expectativa é uma vida pessada. Os frutos são tristeza e decepção. Aprenda a abraçar a alegria do agora.” 
(Douglas Adams, p. 33)

A Longa e Sombria Hora do Chá da Alma foi o primeiro livro da duologia que eu li. A duologia conta com histórias isoladas do detetive, o que foi muito bom, já que ainda não li o seu antecessor, e também por ser meu primeiro contato com a narrativa de Douglas Adams, sempre bem comentada pelo seu humor e elementos sem noção, encaixando tudo em ótima dose.
Senti uma leve semelhança com o Sherlock Holmes, mas sem o humor arrogante que nos é apresentado na série da BBC, e pela sua falta de crença em qualquer religião, tratando-as com bastante sarcasmo, outro elemento na narrativa de Adams.
Não pude deixar de notar as presenças de algumas referências no livro (com certeza aprovado pelo nosso amigo Capitão America kkkk).

“- Entendo. Obrigada pela sinceridade. Mas nem preciso dizer que isso é uma afronta. É melhor arranjar um ótimo advogado, porque o meu vai enfiar um espeto de carne em brasa no seu você-sabe-o-quê.” 
(Douglas Adams, p. 114)

Iniciei a leitura com muita animação e finalizei realmente surpreendida, principalmente com a maneira como Douglas Adams não deixou nenhuma posta solta quando o caso foi solucionado. Senti como se o autor estivesse só esperando eu terminar de ler para ver qual seria a cara que faria com final.
Estou realmente animada para conhecer mais dos livros do Sr. Adams, que conta em seu histórico a presença em episódios da série clássica de Doctor Who (que eu tanto amo) e uma recente adaptação literária dos mesmos, série que mais tarde fez um episódio com uma pequena referência famosa de O Guia dos Mochileiro das Galáxias, muito conhecida por todo mundo, acrescentado mais motivos para conhecer as obras do autor.

224 páginas | 1ª edição | 2016 | Arqueiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário