quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Resenha {Conto} Antes do agora (Gleice Couto)

Sinopse: As primeiras experiências marcam. Elas são únicas. Não precisam ser perfeitas.
ANTES. O primeiro beijo. O primeiro porre. A primeira transa. Júlia e Gustavo vivenciaram muitas de suas primeiras experiências juntos. Amigos desde crianças, compartilharam medos e anseios, alegrias e desilusões... E também algumas marcas que tentaram disfarçar até o agora.
AGORA. Quase três anos após o último contato, eles se reencontram na faculdade. Tentando lidar com o presente, mas sem conseguir se desvencilhar por completo do passado, Júlia e Gustavo serão capazes de viver uma nova primeira vez?

Esse conto faz parte do projeto Contar & Criar
Falei mais sobre ele no meu outro post. Para ler, basta clicar aqui ;)
E mais uma vez leio um livro arrebatador que fiquei outra vez a beira de uma ressaca literária em que só da pra pensar sobre o que você acabou de ler. Assim como foi em Desaparecidas, tive que reler várias vezes a mesma coisa, e que também relerei em breve, porque esse livro tem um plot twist do tipo vendaval! Fui levada para um lugar em que não sabia onde poderia dar sem ter tempo de me recuperar, e acho que com certeza foi pelo fato de ter lido rápido demais, em uma sentada no trem em viagem de volta para o meu bairro, logo depois do evento de lançamento dos contos aqui no Rio.

Uma coisa que a Gleice comentou nesse evento foi que o livro é sobre egoísmo, e mesmo em momentos em que nem imaginamos somos egoístas, e eu não estava entendendo onde ela queria chegar com esse pensamento até terminar e ver que o motivo estava lá o tempo todo e eu não percebi as pistas.

A minha última leitura de um conto eu realmente achei que o que atrapalhou foi a forma como foi acontecendo tudo rápido demais, tinha muita coisa pra acontecer em poucas paginas, mas aqui, mesmo com suas poucas páginas, que de certa forma faz com que tenha que tudo acontecer rápido mesmo e ainda com a minha leitura rápida (muitas coisas para processar ao mesmo tempo), foi tudo no seu devido tempo e isso se deve ao modo como a autora colocou os capítulos, que ficam intercalando com “antes” e “agora” e são ganchos para o próximo capítulo, uma ótima forma para não fazer você para de ler.

Julia e Gustavo vão remontando a relação de forma rápida e sutil, mesmo que Julia tenha a ajuda da sua psicóloga para afastar todas as lembranças ruins do passado que a deixou tão mal e fazer com que a “parede” que ela cria entre eles dois não seja derrubada, e até que chega o momento final, quando tudo fica bem outra vez, e o mistério de o porquê deles terem terminado cai em cima da gente, e com uma enorme virada, percebemos como o buraco é mesmo bem mais fundo; mas aquilo fez com que os dois amadurecem para aquele reencontro, e a melhor coisa de tudo é exatamente tudo, mas ainda assim é o pior, já que nesse momento estamos tão dentro da história e sentimos nossos corações apertados e a garganta apertada...

E foi com lágrimas que eu terminei a leitura, bem no meio do trem, e eu aposto que houve pessoas para achar graça da situação, e que eu nem preciso me esforçar muito para me lembrar da sensação e só deixar as lágrimas caírem novamente.

Eu quero que alguém crie alguma máquina onde possamos entrar nos livros e abraçar os personagens, falar que tudo vai ficar tudo bem, mesmo que agora não pareça que vai.

P.S. essa resenha foi terminada com o resto que sobrou de uma Vanessa que chorou do começo ao fim enquanto escrevia.


P.S. (2) NÃO LEIA A NOTA DA AUTORA ANTES DE LER, eu acho que ninguém lê antes, mas caso você seja esse tipo de pessoa, aguenta um pouco e logo logo você vai entender o porquê dessa recomendação.

104 páginas | 1ª edição | 2016 | Contar & Criar




Nenhum comentário:

Postar um comentário