quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Resenha {Livro} Vocação para o mal (Robert Galbraith)

ATENÇÃO! A resenha que você está prestes a ler pode conter spoilers dos livros anteriores, portanto leia por sua conta em risco ;)
Quando eu penso que a Queen Rowling não pode se superar até mesmo sob o pseudônimo de Robert Galbraith ela vai lá e faz de novo!

Neste terceiro volume da série do detetive Cormoran Strike, a ação (e tensão) surge logo nas primeiras páginas: Robin, secretária e assistente do detetive, recebe uma perna dentre as correspondências do escritório. Sim, uma perna, uma perna que pertencera a um ser humano O.O
Os dois ficam, é claro, em choque com o ocorrido, e Strike percebe que este não poderá ser um trabalha apenas para ele e sua agora assistente investigarem sozinhos, já que a vida de ambos pode estar em risco, contactando então a polícia.
Porém isso não impedirá os dois de iniciarem suas próprias investigações paralelas às da polícia, uma vez que Strike conhece algumas pessoas que possuem bons motivos para lhe causar isso: deixá-lo bastante abalado e ainda por em risco seus negócios como detetive particular, que está tendo uma queda repentina de clientes em decorrência da publicidade negativa - afinal, quem vai querer negócios com um detetive que recebeu uma perna em seu escritório e pode assim estar relacionado a um ou mais homicídios?

Indo além da investigação de um crime bizarro e brutal, temos também o lado "humano" da narrativa, que toca em pontos delicados, até mesmo tabus, como a sociedade machista, a violência contra a mulher e uma doença pouco conhecida chamada transtorno de identidade da integridade corporal (TIIC), na qual o individuo portador sente que devia ter alguma deficiência; e é esta doença o ponto chave da trama, pois a pessoa da perna que receberam possuía este transtorno raro.
Além disso, um pouco mais do passado tanto de Cormoran quanto de Robin é revelado, mostrando mais uma vez o quanto essas personagens são complexas e bem construídas (e parabéns mais uma vez a queen Rowling por isso *-*) e ainda terão muito o que ser descoberto pelos leitores.
E por fim não poderia deixar de citar a referência à banda estadunidense Blue Öyster Cult, cuja música Career of evil dá título ao livro (no original) e ao longo de toda a história somos apresentados à pequenos trechos de algumas músicas da banda em cada capítulo que sempre possuem relação com a narrativa.

Em suma, esta é uma narrativa envolvente com ares de investigação à Sherlock Holmes e John Watson porém com suas particularidades que fazem dela única e especial, como essa escritora maravilhosa sob seu pseudônimo poderia nos presentear.

"[...] Uma história tão bizarra e grotesca sempre seria notícia, mas o interesse aumentaria - e não lhe dava prazer refletir nisso - porque a perna fora enviada ao ser escritório. Cormoran Strike agora valia uma menção nos jornais. Ele solucionara dois homicídios bem debaixo do nariz da Polícia Metropolitana, e ambos fascinariam o público mesmo que não tivessem sido solucionados por um detetive particular: o primeiro, por ser a vítima uma linda mulher, o segundo, por ter sido um estranho assassinato ritualístico."
(Robert Galbraith, p. 36)

Ps.: Leia também a resenha de O chamado do cuco clicando aqui e a resenha de O bicho-da-seda clicando aqui.

487 páginas | 1ª edição | 2016 | Rocco





Nenhum comentário:

Postar um comentário