sábado, 18 de fevereiro de 2017

Resenha {Livro} O desafio de ferro (Holly Black e Cassandra Clare)

Este é mais um daqueles livros que eu me pergunto porque cargas d’águas demorei tanto pra ler. Comprei-o em 2014 depois de vê-lo na Bienal do Livro de São Paulo daquele ano, fiquei super empolgada pra ler mas enrolei como se não houvesse amanhã :S Porém este ano, e após ver mais uma publicação elogiando a saga, resolvi pegar logo pra ler e não me arrependi!
Bem, divagações a parte, vamos à resenha.
Em O desafio de ferro, primeiro livro da série Magisterium, conhecemos Callum (Call) Hunt, um jovem fora dos padrões, rejeitados pelos colegas na escola, e filho do mago (que não “atua” mais como tal) Alastair Hunt.
Desde que se entende por gente, Call sabe que é filho de magos, que sua mãe morrera por causa da magia e ele ficara com uma perna defeituosa na mesma ocasião, e que portanto seu pai odeia os magos e tudo relacionado a eles, passando este sentimento para o filho.

“[...] E foi por causa da magia que ela morreu. Quando os magos entram em guerra, o que acontece com frequência, eles não se importam se as pessoas morrem. E essa é outra razão pela qual você não deve chamar a atenção deles.”
(Holly Black e Cassandra Clare, p. 22)

Ao completar 12 anos, Call deverá participar do “desafio de ferro”, uma série de testes que provarão se ele - como outros jovens da mesma idade - está apto ou não a entrar para o Magisterium, uma escola cujo objetivo é ensinar a seus alunos a controlarem seus poderes mágicos, tornando-se mais tarde exímios magos. Porém Call não está nem um pouco empolgado com o teste, já que sabe que não deverá passar na admissão da escola, fazendo assim de tudo para falhar.
Após terminarem as provas, e tendo a certeza que não passara em nenhuma, Call está preparado para voltar para junto de seu pai e para casa; mas quando ele menos espera, um dos magos, o mestre Rufus, que estava selecionando como seus aprendizes aqueles que obtiveram melhores resultados nos testes também chama pelo nome de Call, deixando o menino surpreso, empolgado e ao mesmo tempo apreensivo, pois sabia que não poderia entrar para a escola em hipótese alguma! Sem ter o que fazer, Call então parte rumo a escola acompanhado dos novos aprendizes, entre eles os outros escolhidos de Rufus, Aaron e Tamara.
Chegando ao Magisterium, Call, embora ainda relutante, em fazer parte daquele mundo, não deixa de ficar admirado com o que vê, a cada dia gostando mais de aprender sobre a magia, como ela funciona, os seres e elementos que a regem e como controlar seus poderes, mostrando-se cada vez mais competente apesar de suas limitações físicas, além de ter por perto Aaron e Tamara, estes sempre a seu lado e provando serem verdadeiros amigos dele - algo que Call nunca imaginou que lhe aconteceria. Entretanto, apesar da aparente alegria do menino, ele esconde ainda o receio de seu pai não estar gostando da sua permanecia no Magisterium.
Perigos e surpresas aguardam Call e cia. nesta história repleta de ação e magia, onde as habilidades dos jovens aprendizes de magos serão colocadas constantemente à prova.

“[...] O fogo quer queimar. A água quer fluir. O ar quer se erguer. A terra quer unir. O caos quer devorar.”
(Holly Black e Cassandra Clare, p. 81)

Holly Black e Cassandra Clare criaram uma história que tem tudo para dar certo (e eu só espero que elas não se percam no meio do caminho...), com uma “mitologia” própria sobre a magia e o que a compõe (adorei elas abordarem os elementos água, terra e afins), bem como os personagens com suas personalidades bem definidas e próximas do real (apesar do conteúdo fantástico), que poderiam ser nós mesmos ou nossos amigos e inimigos.
Quanto às semelhanças com a série Harry Potter (que já vi serem sempre comentadas), não vi muitas, talvez uma ou outra seja mais relevante (porém como só aparecem no final não comentarei aqui senão será spoiler).

Deixo aqui então minha indicação de leitura àqueles que procuram uma nova série de aventura e fantasia ;)

381 páginas | 1ª edição | 2013 | #Irado (Novo Conceito)




Nenhum comentário:

Postar um comentário