terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Resenha {Livro} - Três Coisas Sobre Você (Julie Buxbaum)

Sinopse: Setecentos e trinta e três dias depois da morte da minha mãe, 45 dias após o meu pai fugir para se encontrar com uma estranha que ele conheceu pela internet, 30 dias depois de a gente se mudar para a Califórnia e apenas sete dias após começar o primeiro ano do ensino médio numa escola nova onde conheço aproximadamente ninguém, chega um e-mail. Deveria ser no mínimo esquisito, uma mensagem anônima aparecer do nada na minha caixa de entrada, assinada com o bizarro nome Alguém Ninguém. Só que nos últimos tempos a minha vida tem estado tão irreconhecível que nada mais parece chocante.
Livro cedido em parceria com a editora Arqueiro para resenha ♡

Primeiramente, eu não gostei desse livro, pode até ter havido alguma parte que achei “legal”, mas no fim percebi que vi tantas coisas erradas (a meu ver) que não consegui ver potencial nele, o que foi bem decepcionante porque há tantas resenhas positivas sobre o livro que fiquei me perguntando se estava sendo crítica demais, e se tinha algo de errado comigo, já que até a editora duvidou se alguém não iria gostar do livro em sua divulgação.
A leitura foi bastante fluida, o que me fez perceber mais uma vez que nem sempre isso é sinônimo de bom livro, coisa que percebi pela primeira vez em Belo Desastre, e eu gastei tantos post-its marcando as páginas que quando acabou, tive que fazer orelhas nas folhas.
Eu li cada página pensando “ai meu Deus, o que estou lendo? Olha essa fala preciso marcar ela, porque não consigo crer no que estou lendo” e foram tantas, mas TANTAS vezes que isso acontecia que eu gostaria muito de citar cada uma delas e discutir o que vi de errado, mas para isso seria que ser quase que o livro todo e isso seria uma resenha enorme e provavelmente dividida em duas partes, então vou falar o que mais me chamou atenção.

Começando pelo fato assustador de um estranho querendo saber da sua vida e que ainda diz que é da sua escola e que a autora estava querendo demonstrar como muito fofo, e o AN nem ao menos provou que não estava mentido, isso pode trazer tantas coisas ruins para alguém da vida real, já se é difícil confiar em alguém que você conhece. Eu tenho amigos virtuais, e foi preciso muitas situações para ter confiança e uma dela é com certeza você ver a FACE da pessoa.

A autora colocou ódio disfarçado de feminismo, sendo que esta lá no lindo dicionário que todo mundo deveria usar sempre, que o movimento não é sobre ódio, mas sim IGUALDADE; mesmo que passem a imagem errada do mesmo, é isso o que quer dizer, e não o que está no livro: amiga falando mal do corpo da outra, entre outras coisas do tipo rivalidade entre a popular do colégio e a novata, as duas só trocando ofensas, e com isso colocando os personagens masculinos sendo os mais legais e com defeito nenhum. A vida real não é assim, TODOS temos defeitos.
Tem um personagem gay, o que é maravilhoso, se ele não fosse um estereótipo ambulante e muito chato e sem educação.

Foi um sentimento diferente, e acho que dá para perceber pela resenha, já que até o momento não havia feito nenhuma leitura que tenha me deixado com alguma coisa parecida; porém acho sempre super válido que cada um leia e tire suas próprias percepções do livro, e quando fizer isto, me conte o que achou e se concordou comigo. 

288 páginas | 1ª edição | 2016 | Arqueiro


Um comentário:

  1. Foi muito fácil ler esse livro, leitura fluidíssima como você falou, mas achei todo errado hahah. E nem é pelo fator anonimato porque eu adoro histórias de gente se conhecendo pela internet e perfis misteriosos. O problema mesmo é que tudo é caricato e clichê demaaaaaais. Todo mundo já viu essa história em todos os filmes da sessão da tarde, sabe. Ano passado li em inglês e postei uma resenha meio tosca no goodreads, caso interesse https://www.goodreads.com/review/show/1622873633.
    Gostei do subtítulo do blog, "livros, gatos, café" são as três coisas que mais amo no mundo :D Beijos!

    ResponderExcluir