sábado, 6 de maio de 2017

{Especial May the 4th be with you} Adaptações

Salve fãs de Star Wars!
O grande dia já passou, mas nem por isso nós deixamos de comemorar. Assim, dando continuidade aos nossos posts especiais desta data especial, falarei desta vez sobre as adaptações da saga de George Lucas.
Confira também nossos posts anteriores do Especial May the 4th be with you:
Apresentação.
A Melhor época para ser Nerd
- Arte e paixão: Star Wars e as fan arts

Inúmeras histórias exclusivas para o cinema ganharam suas versões impressas após fazerem sucesso, seja em romances que se baseiam fielmente na história mostrada no filme, assim transpondo-o para a literatura, como é o caso da trilogia clássica da saga Star Wars, de George Lucas, cuja “versão romantizada” (Star Wars: A trilogia) fora lançada no Brasil pela editora DarkSide em 2014, contendo três histórias - cada uma correspondente a um dos filmes (episódios IV, V e VI) - escritas por três autores diferentes (dentre eles, o próprio George Lucas), ou em histórias novas que se baseiam em personagens e/ou situações do filme em questão que não foram aprofundados (por serem personagens secundários ou situações fora do contexto principal da trama, por exemplo), como é o caso do livro Tarkin, lançado por aqui 2015 pela editora Aleph, que faz parte do universo expandido de Star Wars, cujo autor James Luceno aprofunda-se em um personagem secundário dos filmes da “trilogia clássica” da saga Star Wars a fim de contar maiores detalhes sobre o personagem em questão e tudo aquilo que o envolve.
Tendo se tornado uma prática comum com a história criada por George Lucas, o processo de “romantizar” um filme tem se tornado cada vez mais popular com esta e outras histórias.
E com sua “popularidade”, surge também sua justificativa em especial por parte dos expectadores, que veem tais adaptações “como tendo um tipo de valor [...] educativo [...] os fãs de filmes apreciam romantizações porque elas oferecem um novo olhar sobre os processos de pensamento dos personagens e maiores detalhes sobre seu passado [...]” (Linda Hutcheon, 2014, p. 163)
Assim, pode-se notar a importância que esse tipo diferente de adaptação possui para o expectador, que mais tarde torna-se também um leitor de suas histórias favoritas.
Por outro lado, um outro tipo de adaptação que a saga de George Lucas colocou em voga foram as prequels (ou prequelas), histórias que servem para contar algo que tenha acontecido no passado de uma história já criada, servindo como uma espécie de prólogo. No caso específico de Star Wars, as prequels (episódios I, II e III e o mais recente spin-off, Rogue One) servem para expor ao expectador diversos detalhes que não puderam ser mostrados nos três primeiros filmes lançados, tais como o “outro lado” do vilão da saga e seus motivos para ter se tornado quem ele é agora, questões políticas e relacionadas à guerra que está para acontecer, as relações dos Mestres Jedi com seus aprendizes, entre outros, desta forma aprofundando-se mais ainda em certos aspectos da trama principal e oferecendo maiores detalhes sobre esta.
Entretanto, este não é um caso específico de Star Wars, uma vez que outras histórias também ganharam adaptações em prequels, como na série Bates Motel (2013), baseada no filme Psicose (1960) de Alfred Hitchcock, que mostra detalhes do passado do personagem principal (Norman Bates) e suas motivações para virar quem se tornou, a trilogia cinematográfica O hobbit (2012, 2013, 2014), de Peter Jackson, cuja história mostra os acontecimentos que antecederam àqueles narrados nos filmes da trilogia O senhor dos anéis (2001, 2002, 2003), também de Peter Jackson, e o filme Animais fantásticos e onde habitam (2016), este baseado na série literária Harry Potter da escritora britânica J.K. Rowling, embora com a famosa saga cinematográfica tenha se tornado referencia no que diz respeito às prequels e com isso tenha talvez transformado a indústria de cinema.

(Texto retirado e adaptado de SILVA, Isabelle Brum e. Star Wars: o retorno das adaptações. in Adaptação: Uma questão de continuidade em Harry Potter. 2017. N f. Monografia (Pós-Graduação Lato Sensu) - Faculdades Integradas Campo-grandenses, Rio de Janeiro, 2017.)
Obs.: texto original escrito por mim ^^’

May the 4th be with you


2 comentários:

  1. Belle amei seu texto, sabe quando uma pessoa como eu não entende muito bem sobre determinado assunto e no fim da leitura entende a lógica de tudo e fica louca para ver todos os filmes seguidos, tipo maratona!!??? Você conseguiu fazer isso comigo. Eba.
    Beijos linda e parabéns pelo conhecimento, pela dedicação e compartilhamento conosco aqui.

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, que bom saber que o texto te deu vontade de ver os filmes. Pois assista-os que você não irá se arrepender!!! São maravilhosos *-*
      Muito obrigada pela visita e pelo carinho sempre ^^

      Excluir