quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Resenha {Livro} Flores partidas (Karin Slaughter)

Exemplar de cortesia da editora ♡

Falar que Flores Partidas foi uma surpresa e tanto é pouco! Ainda mais depois do que eu descobri da autora durante o processo de escrita deste romance (falei sobre isso no post de curiosidades literárias sobre a autora. Acesse clicando aqui). Só sei que virei fã dela e de suas histórias e mal posso esperar para ler todos os seus livros.
Vamos então à resenha...

Há mais de 20 anos a jovem Julia Caroll desaparecera sem deixar pistas, levando consigo a união de sua família, cujos membros separaram-se e seguiram com suas vidas cada um à sua maneira.
Sua mãe, aparentemente mais forte, superara a perda da primogênita após todos esses anos - embora tenha ficado devastada a princípio -, enquanto o pai continuou na esperança de reencontrar a filha mesmo quando todos, incluindo a polícia, desacreditavam que ela um dia retornaria - o que o motivou a escrever diários sobre Julia e o que ele havia descoberto envolvendo seu desaparecimento, a fim de entrega-los à filha quando esta retornasse.

“[...] Sua mãe e eu sempre ficamos muito satisfeitos, em segredo, com o fato de você ser tão determinada e intensa em relação a suas causas. Quando você foi embora, entendemos que essas eram as qualidades que definem os homens como espertos e ambiciosos e as mulheres como um problema.”
(Karin Slaughter, p. 9)

Suas irmãs mais novas haviam cortado laços afastando-se completamente uma da outra após o casamento da caçula, Claire, que se tornou uma mulher rica e bem-sucedida ao lado de um marido sempre presente e atencioso. No entanto, Claire vê sua vida desmoronar quando seu marido é assassinado durante um assalto, morrendo em seus braços, e com a morte dele, Claire faz uma descoberta chocante que a faz enfim reaproximar-se de Lydia, a filha do meio dos Caroll cuja vida somente começara a entrar nos eixos agora, depois de ter passado muitos anos no caminho das drogas. Lydia, mãe solteira e trabalhadora, sente que deve ajudar a irmã mais uma vez. E assim outra tragédia familiar desta vez poderá unir novamente aqueles que nunca deviam ter se separado - mesmo que algumas antigas feridas tenham de ser tocadas com tudo isso.

“Quando Julia desapareceu, todo mundo dizia que era muito trágico algo tão ruim ter acontecido com uma garota tão bacana. Então, quando o delegado revelou a teoria de que ela havia fugido de casa - para se reunir a uma comunidade hippie ou ficar com um rapaz -, o tom mudou, passando de simpatia para acusação [...]”
(Karin Slaughter, p. 148)

Retomando os mesmos temas presentes em A garota dos olhos azuis, conto que antecede este livro único de Karin Slaughter (confira a resenha do conto clicando aqui), a autora cria uma trama repleta de surpresas, ação e emoção ao tratar do papel da família e da sociedade, assim como da violência contra a mulher, seja ela física ou não (que é o foco principal desta narrativa), escrevendo sobre personagens femininas fortes sem ser “super-heroínas”, personagens humanas, com problemas reais e fraquezas mas que não precisam ser salvas a todo momento por um personagem do sexo masculino.
Exemplar da minha mãe autografado pela autora <3

Amei a escrita da Karin e como disse já virei sua fã (eu e minha mãe, na verdade, que também amou a história *-*) e recomendo a todos que gostam de um bom thriller!

395 páginas | 1ª edição | 2017 | Harper Collins Brasil






Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Belle amiga acredita que me emocionei lendo sua resenha. Como li o conto ontem, ainda estou com as emoções meio afloradas. Fico muito sensível com essa temática. Amei sua resenha, bem detalhada, partiu meu coração saber que já passaram 20 anos que a Júlia foi levada ... bichinha 😭😭😭 mas enfim quem sabe um dia leia esse livro e os outros da autora. A narrativa dela é maravilhosa e os personagens críveis. Amei. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, quem ficou emocionada agora fui eu *-*
      Mas entendo sua emoção. O conto é mesmo forte no assunto que ele se propõe a tratar, e o livro não poderia ser diferente. É muito bom, sério! Leia pois não irá se arrepender ;)

      Excluir