quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Resenha {Livro} O sol também é uma estrela (Nicola Yoon)

Exemplar de cortesia da editora

O sol também é uma estrela, segundo romance da jamaicana Nicola Yoon, apresenta Natasha e Daniel, dois jovens diferentes que não poderiam ser mais parecidos.
Natasha é prática e acredita e nos fatos em detrimento das coincidências e da fé, sendo por vezes pessimista conforme sua própria concepção. Já Daniel é um sonhador que acredita na fé e no amor, sendo otimista quanto ao alcance de seus sonhos.
Ele, nascido nos EUA e filho de coreanos, quer mesmo é ser poeta quando o que seus pais querem é que ele faça faculdade e estude medicina., deixando-o assim num dilema entre seguir seus sonhos ou os objetivos de seus pais, que só querem o melhor para ele.

“ [...] Não quero ficar preso a uma coisa que não significa nada para mim. Essa trilha onde estou... ela segue sem fim. Yale. Faculdade de medicina. Residência. Casamento. Filhos. Aposentadoria. Asilo de idosos. Funerária. Cemitério.”
(Nicola Yoon, p. 84)

Ela, nascida na Jamaica e que foi morar ainda bem nova nos EUA com a família, está para ser deportada com seus pais e o irmão de volta a seu país natal muito em breve, o que de certa forma aumenta suas descrenças na esperança, no “impossível tornar-se realidade”.

"Como é que este pode ser o mesmo dia? Como é que todas essas pessoas podem continuar com a vida sem saber nada do que acontece na minha? Às vezes o mundo da gente balança com tanta força que é difícil imaginar que quem está ao redor não perceba também. Foi assim que me senti quando recebemos a ordem de deportação [...]"
(Nicola Yoon, p. 196)

No dia em que Natasha está para ser deportada com a família, ela ainda vai tentar um último recurso a fim de permanecer nos EUA, enquanto Daniel se encaminha para sua entrevista de admissão na faculdade com a cabeça ainda cheia de dúvidas a respeito do futuro. E entre encontros e desencontro, os dois se conhecerão e descobrirão que estavam destinados (segundo Daniel) um ao outro.

Coincidências ou não, o universo os liga, bem como aos demais personagens da narrativa, que aos poucos vamos descobrindo o papel de cada um dentro da trama.
Os capítulos contados sob pontos de vista diferentes (um de Natasha e um de Daniel)

Apesar de tudo acontecer muito rápido, afinal a narrativa se dá em sua maior parte em apenas um dia - o dia que os protagonistas se conhecem -, nada é muito forçado ou clichê, mostrando como a forma com que a narrativa é conduzida pela autora é tão importante quanto a história em si (#LiteraturaFeelings ), tornando a leitura bastante prazerosa e dinâmica (li o livro rapidinho, em dois dias *-*).

Uma história fofa e ao mesmo tempo reflexiva recomendada para todos os tipos leitores ;)

“[...] Têm a sensação de que a duração de um dia é mutável, e que no início jamais dá para ver o final. Têm a sensação de que o amor muda todas as coisas o tempo todo.
É para isso que o amor existe.”
(Nicola Yoon, p. 268)

276 páginas | 1ª edição | 2017 | Arqueiro




Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Oiii

    Geeeeeeeente, que história linda *-*
    Acho que sou como Daniel, amo essas coisas de "destinados um para o outro" kkkkkk
    Com certeza vai para minha wishlist <3

    Passa lá no blog e deixei seu recadinho. Abri uma nova coluna com resenhas de filmes, animes e séries.
    A primeira resenha é da maratona Marvel que estou fazendo:

    https://acciobks.blogspot.com.br/2017/10/resenha-capitao-america-o-primeiro.html

    Bjssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá; e obrigada pela visita ^^
      hihi, às vezes me identifico com o Daniel. Outras, também me identifico com a Natasha. Então acho que sou um pouco dos dois ^^'

      Que legal que ele foi pra sua wishlist *-*
      Vou ler sua coluna. Amoooo filmes (e HQs e série!) da Marvel.

      Excluir